As contribuições das habilidades de comunicação em público à BNCC no Ensino Médio

Um dia surgiu a ideia de colocar minha experiência com a comunicação em público num livro. Eu não queria abordar uma serie de técnicas, pois isso diversos livros já faziam. Eu queria contar a trajetória desde meus anos de pré-adolescente, em que tive meus primeiros traumas nas apresentações do colégio, até minhas descobertas que se transformaram numa missão de vida.

Minha afirmação a seguir se tornou meu principal objetivo: “é na escola que se aprende a falar em público”. Veja só, você passa 15 anos na escola, num espaço onde há diversos trabalhos para serem apresentados, público e ainda, conta-se muitas vezes, com auditórios e recursos multimídias. Sem falar, na possibilidade de apresentar-se ano após ano evoluindo nas apresentações. Essa realidade tem que ser transformada numa oportunidade de aprendizagem!

É claro que há anos os alunos apresentam seus trabalhos na escola, mas com qual orientação específica para falar diante de plateia? É por isso, por falta de uma cultura orientada de comunicação em público nos anos da educação básica, que muitos desenvolvem experiências negativas que comprometem novos desafios na universidade, no trabalho e na vida. Foi assim comigo e acredito que com muitos de vocês também.

Assim surgiu meu livro “X em Evidência – Atitudes positivas na comunicação de adolescentes e jovens”. Um livro que escrevi pensando nessas lacunas.

Outro aspecto interessante do livro é que ele está sendo lançado num momento muito oportuno de reforma na educação brasileira e vem para contribuir com a nova BNCC (Base Nacional Comum Curricular).

Falar em público é muito mais que pegar um microfone e falar para os outros ouvirem. É também um caminho que leva a muitos aprendizados. Você precisa integrar diferentes áreas — além de recursos comunicativos— como o autoconhecimento, o autocontrole, o respeito à diversidade e a autoconfiança, habilidade imprescindíveis a qualquer ser humano. Podemos dizer que é a descoberta de si mesmo colocada em favor do outro com a finalidade de inspirá-lo a novas atitudes.

Para finalizar, organizar uma apresentação oral é o recurso mais eficiente para consolidar o próprio conhecimento.

 

Mas o que é a BNCC?

A partir de 2020, entra em vigor a BNCC (Base Nacional Curricular Comum) com a finalidade de garantir ao estudante o conhecimento necessário para encontrar soluções de forma autônoma para os desafios da vida contemporânea. A base foi concebida sobre 10 “pilares” chamados de COMPETÊNCIAS GERAIS. Cada competência integra 3 subcategorias: conhecimento, habilidade e atitude, ou seja, saber + saber fazer + saber utilizar.

As competências gerais devem ser aplicadas aos diferentes componentes curriculares (disciplinas) e também devem integrá-los (serem interdisciplinares). A seguir, comento as contribuições que meu livro oferece à BNCC utilizando como referência o material publicado por www.porvir.org .

 

10 competências gerais da BNCC

  1. Conhecimento: valorizar e utilizar os conhecimentos sobre o mundo físico, social, cultural e digital.

Objetivo: Entender e explicar a realidade, continuar aprendendo e colaborar com a sociedade.

Contribuição X em Evidência: organizar uma apresentação oral é a forma mais efetiva de sedimentar o conhecimento. De acordo com a pirâmide de Willian Glasser, aprendemos cerca de 95% do que somos capazes de ensinar.

 

  1. Pensamento científico, crítico e criativo: exercitar a curiosidade intelectual e utilizar ciências com criticidade e criatividade.

Objetivo: investigar causas, elaborar e testar hipóteses, formular e resolver problemas e criar soluções.

Contribuição X em Evidência: organizar um discurso oral permite inspirar novas atitudes do público (que poderá ter número ilimitado) a partir de ideias simples que surgem ao observar as necessidades contemporâneas. Expor ideias de modo consciente está associado à necessidade de integrar, refletir e comparar pesquisas de diferentes fontes.

 

  1. Repertório cultural: valorizar diversas manifestações artísticas e culturais.

Objetivo: fruir e participar de práticas diversificadas da produção artístico e cultural.

Contribuição X em Evidência: analisar diferentes manifestações artísticas, além de valorizar os diversos contextos históricos, permite conhecer o outro, autoconhecer, atribuir novos sentidos, expandir a criatividade e respeitar a diversidade, características essências para dialogar com o outro.

 

  1. Comunicação: utilizar diferentes linguagens.

Objetivo: expressar-se e partilhar informações, experiências, ideias, sentimentos e produzir sentidos que levem ao entendimento mútuo.

Contribuição X em Evidência: o foco é a comunicação oral planejada, isto é, construída para o alcance de um objetivo que seja bom para ambas as partes, que seja capaz de transformar aquele que fala e aquele para quem se fala.

 

  1. Cultura Digital: compreender, utilizar e criar tecnologias digitais de forma crítica, significativa e ética.

Objetivo: comunicar-se, acessar e produzir informações e conhecimentos, resolver problemas e exercer protagonismo e autoria.

Contribuição X em Evidência: oferecer recursos que permitam estruturar o discurso e a interação, via mídias sociais, de forma estruturada, ética e funcional.

 

  1. Trabalho e projeto de vida: valorizar e apropriar-se de conhecimentos e experiências.

Objetivo: Entender o mundo do trabalho e fazer escolhas alinhadas à cidadania e ao próprio projeto de vida com liberdade, autonomia, criticidade e responsabilidade.

Contribuição X em Evidência: Todas as carreiras necessitam de recursos para que os profissionais possam: expressar suas ideias e/ou das instituições que representam; interagir com colegas, parceiros e clientes; conduzir reuniões e equipes de trabalho; posicionar-se através de recursos tecnológicos como videoconferências, chamadas por vídeo, live e outros. Todas essas situações são beneficiadas pela habilidade de falar em público, uma vez que todas derivam da mesma essência.

 

  1. Argumentação: argumentar com base em fatos, dados e informações confiáveis.

Objetivo: Formular, negociar e defender ideias, pontos e vistas e decisões comuns, com base em direitos humanos, consciência socioambiental, consumo responsável e ética.

Contribuição X em Evidência: oferecer recursos para que bons argumentos sejam selecionados, organizados, expostos, negociados e que sirvam de motivação para inspirar novas e boas ações individuais e coletivas.

 

  1. Autoconhecimento e autocuidado: conhecer-se, compreender-se na diversidade humana.

Objetivo: cuidar de sua saúde física e emocional, reconhecendo suas emoções e as dos outros, com autocrítica e capacidade para lidar com ela.

Contribuição X em Evidência: Autoconhecimento é a essência do comunicador que pretende lançar-se aos desafios de se expor, o que também requer domínio sobre as emoções e sobre o corpo. Saber reconhecer-se como único, e extrair disso as próprias contribuições para um mundo melhor, é a proposta do livro X em Evidência.

 

  1. Empatia e cooperação: exercitar a empatia, o diálogo, a resolução de conflitos e a cooperação.

Objetivo: fazer-se respeitar e promover o respeito ao outro e aos direitos humanos, com acolhimento e valorização da diversidade, sem preconceitos de qualquer natureza.

Contribuição X em Evidência: o conceito de saber dialogar é fundamental para fazer a mediação entre mim e o outro. Falar em público é dialogar, com a diferença que o turno de fala do apresentador e maior com relação ao turno de ouvir do interlocutor. Entretanto, é necessário conhecer o outro e adequar a mensagem ao perfil do público, de modo que possa-se tocar o coração alheio a fim de inspirá-lo a novas atitudes.

 

  1. Responsabilidade e cidadania: agir pessoal e coletivamente com autonomia, responsabilidade, flexibilidade, resiliência e determinação.

Objetivo: tomar decisões com base em princípios éticos, democráticos, inclusivos, sustentáveis e solidários.

Contribuição X em Evidência: falar em público é uma ferramenta de poder, pois se tem a possibilidade de influenciar outras pessoas. Com a realidade tecnológica, podemos dizer que se tem a possibilidade influenciar um número imensurável de pessoas. E é dever do X em Evidência “colocar a comunicação a serviço do bem”, para tal, valores e ética devem preceder toda a atitude comunicativa.

 

As habilidades de comunicação em público estão a serviço dos estudantes, professores e instituições. Acenda essa luz!

Abraço,

Ana

 

Fonte: http://porvir.org/entenda-10-competencias-gerais-orientam-base-nacional-comum-curricular/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s