Encantadores de pessoas

Quando falamos em comunicação em público, em geral, falamos em técnicas e habilidades que podem ser adquiridas. Mas não é somente isso. Todo aprendizado terá sido mal aproveitado se suas atitudes não estiverem de acordo com as mensagens que deseja transmitir ou a imagem que deseja construir.

Pensando nisso, elenquei 10 atitudes que costumam encantar as pessoas. Vamos a elas.

1. Atenção

Saiba ouvir o que o outro tem a dizer sem interrupções ou julgamentos. Ouça para entender e não para responder. Ouça, compreenda, pense e , então, responda. Demonstre interesse genuíno ao ouvir as histórias alheias.

2. Educação

Quem resiste a alguém gentil e cordial?

Elegância nas palavras e nas atitudes abrem caminhos para bons relacionamentos, para o alcance de objetivos e, até mesmo, para resultados positivos em reclamações. Ganhe as pessoas tocando seus corações e não amedrontando-as.

3.Sinceridade 

Item controverso… Sinceridade só encanta as pessoas quando é dita com empatia, ou seja, colocando-se no lugar de quem irá ouvir. Caso contrário, pode agredir. Seja assertivo, aborde o fato e não a pessoa. Também não deixe que o outro identifique em você, através da comunicação não verbal, suas impressões pessoais sobre o ocorrido.

4. Ética 

Fofocas e maledicência. Cuidado com pessoas que falam mal dos outros, das instituições, de outras circunstâncias e que têm valores duvidosos. Você poderá ser a próxima vítima.

5. Alegria

Tenha entusiasmo ao falar. Você emana sua energia. Prefira emanar alegria. É sempre bom estar em companhia de pessoas alegres, de alto astral e felizes do que de pessoas lamurientas e desanimadas.

6. Simplicidade

Escolha palavras que sejam acessíveis e assuntos que todos possam contribuir. O esnobismo só distancia e segrega as pessoas. Busque a participação de todos.

7. Seja inspirador

Valorize sua história, sua trajetória e suas conquistas. Saiba falar de si com amor e humildade. Conte suas próprias histórias e suas vivências em momentos oportunos, para que os outros o conheçam, admirem e se inspirem em você.

8. Motivador

Encoraje as pessoas a novas atitudes. Ajude-as a correrem atrás de seus sonhos, conquistarem seus ideais e acreditarem em seus potenciais.

9. Contato de olho

Olhe para as pessoas nos olhos enquanto ouve e enquanto fala. Mantenha uma distância que não intimide o outro. Mantenha a expressão facial de serenidade e leveza.

10. Sorriso

Por fim, sorriso. Mas poderia ser o início de tudo. O sorriso sincero dá o tom da interação, pois diz ao outro a forma como ele deve agir com você. É a ação que gera a reação.

Procure conquistar a parceria e não somente a pessoa. Parceiro torce pelo outro e o ajuda sempre.

Queira bem às pessoas e demonstre isso. Acredito que assim, o mundo se tornará mais encantador.

Beijo,

Ana

Por que contar suas próprias histórias?

Todo mundo tem uma boa história para contar. Qual é a sua?

Você deve estar se perguntando: “por que isso agora”? E a resposta é que suas histórias têm um potencial enorme de lhe trazerem credibilidade e de servirem de base para persuadir seu interlocutor sobre as ideias, propostas, produtos e serviços que você tem a oferecer. O nome disso? Storytelling.

Há muito tempo, o mundo da ficção nos fascina. Histórias do cinema, novelas, teatro, séries e livros continuam nos seduzindo, nos encantando e prendendo a nossa atenção.

O mercado de marketing entendeu isso tão bem que passou empregar todo esse poder em suas campanhas publicitárias. Note que algumas campanhas nem exploram o produto em si, mas se aprofundam na história e nas sensações que o envolvem. Quer um exemplo?   Muitas propagandas de carro não mostram todos os recursos que o carro oferece, mas mostram a estrada, a companhia da viagem, a sensação de chegar, o sol atrás da montanha e por aí vai. O consumidor vai à loja conhecer o produto, após ter se identificado com toda a emoção da narrativa. Poderoso, não?

Outras áreas da comunicação também têm se apropriado desse recurso para ganhar a atenção de seu público, e conseguir bons resultados, como programas de TV, programas eleitorais e palestras.

O enredo nos atrai, o clássico começo que passa pelo meio e termina no fim. Basta lançar introduções como “um dia eu estava passando por”,  “tem coisas na vida que a gente fica sem entender” ou “tem algo sobre mim que eu preciso dizer a vocês” (essa última, então, é infalível) para, literalmente, “laçar” o ouvinte.

Todos esses recursos, acompanhados de estratégias vocais e não verbais, quando aplicados às histórias que de fato nos aconteceram, nos expõem de uma forma original, verdadeira e sincera aos olhos (e aos ouvidos) do nosso interlocutor. Nos aproximam, portanto, da credibilidade, da empatia e do respeito alheio.

Uma vez que as pessoas acreditam na nossa história, e passam a conhecer um pouco da nossa vida, é provável que acreditem em nós e que nossas ofertas sejam recebidas com maior apreço.

A vida é uma fonte inesgotável de acontecimentos que podem se tornar interessantes  narrativas a serem compartilhadas a fim de inspirar e persuadir outras pessoas.

Aproveitem o storytelling para oferecerem seu melhor e exercerem influências do bem. Não vale inventar, pois a verdade é convincente, mas a mentira tem seus furos. Contudo, isso é assunto para uma próxima pauta.

Abraço,

Ana

<a href=”https://www.freepik.com/free-photo/classmates-learning-and-joking-at-school_863710.htm”>Designed by Pressfoto</a>